A produção física da indústria capixaba acumulou alta de 1,7% em 2017, interrompendo a queda de -18,7% registrada no ano anterior. No saldo de empregos, houve 1.777 demissões na indústria em 2017, diminuindo o ritmo de redução dos postos de trabalho no setor. Em 2016, a indústria havia sido responsável por 15.118 demissões.

Os dados foram analisados em coletiva de imprensa realizada pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) nesta quinta-feira (08). Na ocasião, duas publicações do Instituto detalharam os resultados da economia capixaba: Indústria em Números e Fato Econômico Capixaba.

A análise do mercado de trabalho apresentada no Fato Econômico Capixaba revela que os profissionais com maior nível de escolaridade tiveram saldo líquido positivo de emprego em 2017: médio completo (+1,4 mil); superior incompleto (+760); e completo (+917). Os demais níveis sofreram redução de 7,5 mil postos de trabalho.

Para o 1º vice-presidente da Findes, José Carlos Zanotelli, o indicador reflete a importância da qualificação profissional. “Sesi e Senai vêm desempenhando um trabalho fundamental para a melhoria da formação de nossa mão de obra. Os números comprovam que a qualificação gera oportunidades e, por consequência, melhora o resultado da indústria”, enfatizou Zanotelli.

Na produção física, o Espírito Santo registrou 1,7% de crescimento da indústria geral e quatro dos cinco setores pesquisados tiveram resultado positivo – com destaque para produtos alimentícios (13,2%). Na comparação entre os meses de dezembro de 2017 e 2016, houve retração de -5,1%, pressionada pelo recuo na produção de óleos brutos de petróleo, gás natural, celulose, cimentos “Portland” e granito.

Você confere o Fato Econômico Capixaba aqui e a análise da Produção Industrial Mensal – Produção Física aqui

Por: Rafael Porto

 Imprimir
Read More